CP-MOTO > Tutoriais

Dicas de condução para motociclistas com penduras

(1/3) > >>

Moto2cool:
Antes de pedir a um passageiro para subir para a mota, deve-se certificar de que ele ou ela conhecem as noções básicas e têm um método para comunicar suas necessidades.



Eu tendo a concordar com a Volkswagen: "No caminho da vida há passageiros e há condutores." Se estamos falando de motas, autocarros, camiões ou aviões, eu quero ser o condutor. Chamem-me fanático se quiserem, mas ponham os controlos nas minhas mãos.

Com o controlo vem a responsabilidade. Você é responsável pela segurança da pessoa que o acompanha na viagem. E entre as suas responsabilidades, quando convida alguém a viajar como passageiro, está perceber como a estabilidade da sua moto é alterada pela junção de um segundo corpo. E precisa também ter certeza de que a pessoa que vai atrás também entende o que está em jogo.

As mudanças que um pendura faz ao comportamento da mota são principalmente devido ao peso adicionado. Basta adicionar 100 libras para que a mota perca aceleração, aumente significativamente a distância de travagem e dê uma resposta lenta ao uso da direção. Vai comprimir a suspensão mais do que o habitual, absorvendo parte da sua folga e facilidade a curvar.

Quando este peso é colocado no alto e por cima, ou pior, atrás do eixo traseiro, seus efeitos no manuseio são amplificados. Adicione uma ligação à mota pouco firme e a capacidade de mudar seu peso de forma independente e o problema aumenta. O peso pode ser mais relevante quando faz manobras em velocidades muito baixas, e algumas combinações de mota/passageiro podem ser bastante difíceis de gerir a um ritmo lento.

Para lidar com essas mudanças comece por reservar uma margem maior. Para ter mais possibilidade de parar aumente a distância para o veículo da frente e reduza a velocidade quando se aproxima dos cruzamentos. Aguarde para arrancar até que haja um espaço grande à sua frente. Reduza um pouco mais a velocidade nas curvas. Evite os buracos e diminua mais a velocidade do que o habitual nas poças de água.

Mas a melhor coisa que pode fazer para diminuir o efeito do pendura é informá-lo (para o resto deste artigo, por uma questão de brevidade, vamos ser descaradamente sexistas e assumir que o passageiro é feminino) sobre o que pode esperar e o que deve fazer. Mostre-lhe onde estão as peseiras e diga-lhe para manter ali sempre os pés - explique que não há necessidade de ajudar a suportar a mota numa paragem. Indique-lhe como está perto da roda e  avise-a que não deve tocar nela nem na corrente. Mostre onde está o escape e avise-a que a pode queimar e não deve ser tocado.

Eu aprendi da pior maneira como  fazer isto da primeira vez que andei com ela. Os únicos dois penduras que se queimaram andando comigo em 35 anos, ambos me disseram que sabiam tudo sobre motas, como montaram motas o tempo todo, blá, blá, blá. Descobri depois que eles estavam a exagerar.

Agora eu dou uma dicas a todos os não tenha visto montar algumas vezes. Insultar a experiência de um motociclista é sempre melhor que dar-lhe uma queimadura de terceiro grau.
Estude com ela a melhor forma de subir para a mota. Eu prefiro montar primeiro, iniciar o motor e preparar-me para iniciar viagem, depois sobe a pendura utilizando a peseira esquerda como degrau.

Deve haver um acordo em que ela pergunte-lhe quando pode subir e você deve responder de forma clara antes dela subir. A minha esposa e eu usamos um sistema “Pronto?” - “Pronto!” bem audível, mas a comunicação oral às vezes pode ser difícil com capacetes. Podem preferir uma palmada no ombro e um aceno exagerado como uma resposta afirmativa. Alguns motociclistas têm dificuldade em aguentar o peso todo do passageiro na peseira esquerda ao subir, nesse caso você deve estabelecer uma forma alternativa de subir para mota. Fique claro que nada estraga mais uma viagem que deixar cair a mota antes de chegar à rua.

O procedimento de desmontagem também deve ser revisto. Aqui pode pedir que ela espere até que coloque a mota no suporte lateral se tiver problemas para segurar a mota quando o peso muda.
Em seguida descreva como se sentar na mota. Explique que ela deve-se inclinar da mesma forma que a mota, nem mais nem menos. Eu gosto de lhe dar uma pequena imagem sobre como a mota curva e como temos que inclinar a mota para fazer a curva, e dizer-lhe que se não se inclinar dessa maneira você tem que inclinar a mota ainda mais para fazer a curva.

Eu sugiro que ela olhe por cima do meu ombro interno numa curva. Digo a qualquer passageiro, homem ou mulher, para agarrar-se na minha cintura. Não permita que um passageiro use a abraçadeira do assento em qualquer circunstância, porque ela pode ceder um pouco e aí desestabiliza a mota. Mesmo as pegas ou os encostos não são sítios recomendáveis para segurar-se com a mão, embora possam ajudar o pendura a resistir às forças de travagem.
Recomendo o mesmo equipamento  para penduras  que faço para condutores - capacete, casaco, luvas e calças de mota e calçado seguro que cubra o tornozelo. Ocasionalmente os passageiros podem não querer colocar o capacete,  alegando com o cabelo, a vista ou outras preocupações. Eu insisto sempre e, felizmente, tenho uma seleção  de capacetes com todos os tamanhos.

Prepare alguns sinais básicos de comunicação. Um deve ser "Pare já!" Isto é útil quando surge um problema urgente, como uma lente de contacto solta ou uma abelha pelo pescoço. Outro sinal útil é um pedido menos urgente para parar.
Uma variação deste sinal pode permitir que o pendura informe o condutor que ele está fazendo algo que a assusta. Você não preferiria que o seu co-piloto toque na sua perna um par de vezes em vez de inclinar-se para o lado mais alto da moto quando está arrastando o joelho no chão porque foi surpreendido por uma curva de raio muito curto?

Em artigos anteriores já se abordou a vantagem e a técnica para andar de forma tranquila, isto é duplamente verdadeiro com um passageiro a bordo. Se acabar por bater com os capacetes é culpa sua, não dela. Transições suaves do acelerador, aplicação gradual dos travões, atenção na passagem de caixa para evitar solavancos e suavidade nas curvas tornarão o passeio do pendura mais agradável.

Depois de aproximadamente cinco minutos com uma nova pendura, pare a moto, desligue-a e pergunte-lhe como ela se está a sentir e o que pode fazer para tornar o passeio melhor. Pare com frequência e repita a pergunta. Dê a uma nova pendura várias paragens de descanso se este for seu primeiro passeio mais longo.

Se planeia transportar penduras regularmente veja as comodidades que a mota oferece. Cruisers geralmente oferecem espaço suficiente para os passageiros da frente e de trás, mas alguns assentos traseiros são desconfortavelmente estreitos ou finos. Um assento aftermaket ou reforçado com espuma pode beneficiar os dois.

A maioria das penduras aprecia a segurança de um encosto, certifique-se de que isso não faz com que ela se incline para trás o suficiente para prejudicar ainda mais o manuseio da direção. Se  fizer alterações nos assentos, tente manter a pendura à frente do eixo traseiro.

Finalmente, se você viajar regularmente com o mesmo pendura, vale a pena aproveitar o tempo para praticar alguns dos exercícios adicionais, como as paragens de emergência ou movimentos rápidos de desvio da direção, com ela a bordo. Trabalhe gradualmente até situações mais extremas para que ambos tenham tempo para se ajustar. Vocês aprenderão e estarão bem preparados para essa eventualidade indesejada.

O pendura certo faz uma excelente companhia de viagem. Certifique-se  que o seu pendura é o certo, isso depende do condutor.

in: https://www.motorcyclecruiser.com/motorcycle-riding-tips-for-your-passenger

Moto2cool:
Velasquez, sem prejuízo do respeito por cada opinião, e apenas traduzi a opinião de outro, o que o autor quis dizer é que todos podem ser os penduras certos, depende do condutor.

Por isso se quiseres levar a miúda que te interessa, deves fazer com que seja a pendura certa, através daquilo que ele diz serem as dicas para isso, ou podes arriscar-te a ter a miúda certa toda esfarrapada  :lolol: :lolol: :lolol: não será um final romântico  :policia:

Luis Salgueiro:

--- Citação de: Velasquez em Janeiro 29, 2018, 20:05:50, 20:05 ---
Hum...

Queres dar uma boleia a uma miúda muita gira....
Mas nunca foi Pendura de mota...

Se ela não for 'o certo' fica em terra?  :D

Aí as teorias...da treta :lolol:

--- Fim de Citação ---

Velasquez ,o Anthony Kiedis (vocalista dos Red Hot Chili Peppers) também pensa o mesmo que tu ! :feliz:

Cross:

--- Citação de: Velasquez em Janeiro 30, 2018, 00:02:05, 00:02 ---
--- Citação de: Moto2cool em Janeiro 29, 2018, 20:15:47, 20:15 ---Velasquez, sem prejuízo do respeito por cada opinião, e apenas traduzi a opinião de outro, o que o autor quis dizer é que todos podem ser os penduras certos, depende do condutor.

Por isso se quiseres levar a miúda que te interessa, deves fazer com que seja a pendura certa, através daquilo que ele diz serem as dicas para isso, ou podes arriscar-te a ter a miúda certa toda esfarrapada  :lolol: :lolol: :lolol: não será um final romântico  :policia:

--- Fim de Citação ---

Mas isso eu sei.

Era precisamente a falar em relação a quem é a autoria do texto...

Lembro-me no outro dia de ter levado uma amiga minha (enfermeira no UK) que estava cá de férias na Tracer. Nunca tinha andado de mota e tem um pouco de pavor a motas, no entanto, correu super bem!
-Agarra-te, relaxa, disfruta; dizia-lhe eu...

E acabamos por ir ao cabo da Roça e tomar um café em Almoçageme. Portanto, fez o baptismos numa estrada de serra repleta de curvas. Ninguém foi ao chão nem lá perto.

Não há que escolher nem deixar de escolher pendura nem de teorias bacocas!
Há que andar de mota e meter a 'mão na massa'

--- Fim de Citação ---

Velasquez acho que aqui a pendura "certa" quer dizer que depende dos dois pendura e condutor. Ou seja a pendura certa para uns não serão necessariamente a certa para outros.
"Takes 2 to tango" já dizia o outro.
 

Moto2cool:

--- Citação de: dmanteigas em Janeiro 30, 2018, 13:01:28, 13:01 ---Pessoalmente, acho que a melhor dica que se pode dar é para a pendura se agarrar a nós e evitar movimentos bruscos. A minha namorada sempre andou de mota à pendura desde miuda, portanto nunca tive problemas. Mas a primeira vez que andei com a minha irmã iamos caindo os dois porque na primeira curva ela assusta-se e apoia-se com toda a força na peseira do lado oposto à curva o que provocou uma instabilidade gigante na mota que nos ia levando ao chão. É preciso "treinar" as penduras inexperientes, porque 70kg lá atrás a fazer movimentos estupidos pode facilmente mandar-nos ao chão.

Queimaduras no escape também é bonito. Eu próprio fiz uma na perna que só agora ao fim de quase 5 anos é que se disfarça melhor, e até é pelos pêlos da perna  :D

--- Fim de Citação ---

Uma boa pendura agarra-te pela cintura, uma muito boa pendura pode descer a mão....  :yeah:

Navegação

[0] Índice de mensagens

[#] Página seguinte

Ir para versão completa