Autor Tópico: Como voar baixinho na nova Triumph Speed Triple 1200 RS  (Lida 834 vezes)

Outubro 20, 2021, 18:11:12, 18:11
Lida 834 vezes

2low

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 4825
  • Marca Motociclo: Triumph
  • Modelo Motociclo: Sprint ST 1050 ABS (2006)
  • Localidade: Margem Sul
Inesperadamente surgiu a hipótese de experimentar uma moto que me cativavacriava enorme curiosidade, primeiro na nova motorização de 1160cc que produz algo como 180cv!!! E depois todo o novo design, mais "bonito de forma agressiva".

Tudo surgiu na tentativa de fazer um test-drive à nova Triumph Tiger Sport 660 que está exposta no stand da Triumph Lisboa até amanhã, mas este modelo só para Janeiro é que vai entrar em comercialização e respectivos test-drives...



Estava curioso pelo sistema de regulação da viseira, julgava que fosse mais fácil mas lá está, aquilo está feito para quem vai a conduzir a moto e não quem está ao lado da moto...
Gostei de ver a moto, tem mais pinta ao vivo mas notei que tal como todas... sendo o banco um bocado alto, facilmente quem lá tenta entrar quase que bate nas malas laterais...

E pronto... lá teve que ser A BESTA mas ainda tentei perceber se estaria já disponivel a nova Speed Triple 1200 RR, semi carenada...

Vou começar pelo resumo da coisa com uma foto comprometedora!



Sim é uma moto do demo e para os mais loucos!

Não tive ao dispor de muito tempo para a experimentar, qualquer coisa como 20minutos mas que acabaram por ser uns 35/40min.

Só tirei meia dúzia de fotos, tanto que o objectivo era mesmo experimentar e não admirar!





Inicialmente o meu pior receio seriam os 83cm da altura do banco da moto mas posso garantir que é um disparate termos esse receio.
A moto é leve, compacta e o banco sendo estreito à frente ajuda aos mais baixos a conseguirem ter ligeiramente em bicos dos pés.
Tenho mais dificuldade com a minha moto...tal o peso e o banco ser mais largo...

Ligando o motor...



Temos a sensação de o bicho estar sempre a querer puxar a trela e com vontade de morder...
E sempre ali a refilar com aquele ronco mau... grrr...
(o ronco é grave mas bem agradável apesar de um pouco alto a baixas rotações, depois lá em cima, ouve-se o motor e perde-se um pouco o ronco)

No transito é maneirinha e mexe-se bem mas cuidado... a 3ª chega aos 200!!!
(não, não experimentei isso na cidade...)

O motor não tem nada de dócil quanto era e é o 1050 da minha moto, é uma coisa bruta mas com um banco minimamente confortável, faltando contudo um bom apoio atrás...

Infelizmente e face ao tempo reduzido, não tive oportunidade de experimentar no ambiente que tinha curiosidade, as curvas...
Deu para fazer meia dúzia de curvas e umas rotundas, aquilo agarra e dá mesmo vontade de deitar....

Em termos de travões, falava-se tanto de serem brutos... aquilo é extremamente eficiente, não fosse um sistema completo Brembo, mas são até bem "dóceis" face à brutidade do motor!

O motor facilmente e rapidamente passa do 0kmh para onde ele puxa e puxa e puxa...

Desgostei do quick-shift e mecanismo da caixa de velocidades, que precisa de adaptação e é daqueles que temos de ir experimentando até conseguirmos por o ponto morto...
O pedal de mudanças é um pouco pequeno e ligeiramente para trás.

Mas lá está... em ambiente próprio para velocidades...
A BESTA faz lembrar que estamos à frente de um a consola de jogos, e que na medida que se sobre repentinamente na velocidade, aquilo puxa puxa puxa puxa puxa puxa... e facilmente perdemos a noção dos limites laterais, que ficam desfocados, nem sequer temos tempo de olhar para o bonito TFT, que é até bem perceptível mesmo com SOL a dar...

Tipo a lembrar...


Mas a puxar puxar, não levanta a roda!!! É firme!

Gostava de ter mais que dizer desta moto mas face ao pouco tempo que tive disponivel, tive praticamente oportunidade de sentir e verificar o comportamento do motor...

Pronto, é uma naked que gostei de pilotar e que face ao peso reduzido e o motor bombástico acaba por ser uma boa concorrente às ainda mais bestas como a Ducati StreetFighter ou a KTM SuperDuke 1290RR...
(Sim, esta moto não se conduz, pilota-se!)

Tivesse eu menos 15 anos e com pelo menos a experiência de condução que tenho e seria a minha moto de eleição mas...
Não é de todo o que necessito para já e é realmente demasiada moto para eu conseguir usufruir na sua plenitude...
Para o ano logo se vê...

nota: é uma moto que nos leva facilmente para outra dimensão. Quem está habituado a conduzir uma 1000cc vai se surpreender mas quem usa uma A2 ou recente média cilindrada... cuidado! Aquilo morde!

Agradeço à Triumph Lisboa por esta oportunidade e fica a promessa que a partir do próximo ano tentarei começar a ver uma triumph nova ou de serviço para a minha futura moto ou futura 2ª moto mas até lá vou é bulir no duro...



« Última modificação: Novembro 12, 2021, 02:06:57, 02:06 por 2low »
Grão a Grão, Comemos Feijão!


Outubro 20, 2021, 21:45:47, 21:45
Responder #1

TMXR

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 3497
  • Marca Motociclo: KTM
  • Modelo Motociclo: 1290 SAS
  • Localidade: Lisboa
E uma moto que me interessa mas na versão 765.

Gostei do test drive  :nice: :palmas: fico a espera do da 660… embora pela minha experiência com a 800 não será moto que me interesse muito
Yamaha Tmax 530 * BMW R1200 GS * BMW R1250 GS * KTM 1290 SAS * Triumph Tiger 800 XRT * Ducati Multistrada 1200S/1260S/Enduro * Kawazaki Z900  * Triumph Speed Triple

Outubro 20, 2021, 23:45:28, 23:45
Responder #2

JustGil

  • Motociclista: 2 estrelas ❇❇

  • Offline
  • **

  • 236
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Marca Motociclo: Honda
  • Modelo Motociclo: CB300R
  • Localidade: Vila Nova de Gaia, Porto
Muito obrigado por essas impressões! Apesar de ter sido reduzido o tempo, acredito que deu pelo menos para pôr um sorriso na cara ;D
Também gostava de experimentar uma Triumph!
Aquela que tenho maior curiosidade é a Trident 660, que soube que ela tem uma versão para a carta A2. Será que a Sport 660 também terá uma versão "com menos pulmão" ?

Outubro 21, 2021, 00:23:54, 00:23
Responder #3

2low

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 4825
  • Marca Motociclo: Triumph
  • Modelo Motociclo: Sprint ST 1050 ABS (2006)
  • Localidade: Margem Sul
Muito obrigado por essas impressões! Apesar de ter sido reduzido o tempo, acredito que deu pelo menos para pôr um sorriso na cara ;D
Também gostava de experimentar uma Triumph!
Aquela que tenho maior curiosidade é a Trident 660, que soube que ela tem uma versão para a carta A2. Será que a Sport 660 também terá uma versão "com menos pulmão" ?

Da Tiger Sport660 tens acesso ao "kit limitador" para carta A2, só tens de pagar esse "acessório" por mais ~162€ mas pelos vistos quando tiveres hipótese de passar da A2 a A parece que basta desactivar/retirar esse kit e ficas com a moto deslimitada. Se for assim, não me parece má compra.



Sobre o sorriso na cara... calma...
Primeiro foi com receio pegar no bicho...
Só ali a meio e a sair do ambiente citadino comecei a ficar com menos receio e a adaptar-me ao bicho...
Depois sim... sorriso enorme!
Mas em autoestrada, sendo uma naked em que praticamente estamos sentados, temos um pequeno guiador sem grandes adereços, o TFT apesar do tamanho está ali encaixado semi-escondido e praticamente acima de 140...já nem se olha mais do que a estrada... e sente-se porrada no corpo proporcional a quanto mais a gente roda o punho direito...mas o barulho/ruido do escape e motor 3 cilindros dão pleno gozo de puxar e puxar...
É um bicho para se ter muito respeito e usufruir mais em ambientes fechados controlados ou zonas com pouco transito...
E afinal é uma moto de quase 19.000€, uma "hiper naked", apesar de não dar 300kmh, mesmo 210 a porrada é tanta que pouco mais se dá alem disso...
Faltou mencionar que a suspensão (Ohlins) tem afinações e regulações, atrás tem duas "torneirinhas":

Mas não deu tempo nem para perceber comportamento nas curvas e sensações com ajustes de suspensão nem sequer usar o joystick para ajustes no TFT...
Mas pareceu-me uma suspensão um bocado dura e ligeiramente saltitante sensível as irregularidades da estrada, lá está... a regulação/ajuste que estava pré-definido talvez não fosse o melhor.
Mas ainda sobre o motor...é difícil dosear com suavidade a andar calmo na cidade, talvez pela sensação quase on/off do binário estar disponivel assim que se acelera a fundo...
Fiquei com a sensação do limite do motor ser muito além da minha velocidade de cruzeiro e de conforto...
Não tenho a menor dúvida que o preço é alto para os comuns dos mortais mas para quem procure este tipo de moto, é mais que justo e até em comparação com a concorrência mais directa.
Esteticamente continuo a achar o anterior modelo mais apelativo (escape duplo) apesar deste novo farol da frente ser mais "bonito agressivo".

E uma moto que me interessa mas na versão 765.

Gostei do test drive  :nice: :palmas: fico a espera do da 660… embora pela minha experiência com a 800 não será moto que me interesse muito

Agora fiquei também curioso com esse motor... talvez seja algo mais equilibrado e mais "polivalente", pois esta 1200RS deve ser fantástica mas em autódromo... onde se deve conseguir explorar bem o bicho...

nota: agora tenho de ganhar o euromilhões pois ainda quero fazer o Dfelix feliz ao ver uma Speed Triple 1200 RS com topcase! (na cor cinza)  :D :lolol:
« Última modificação: Outubro 21, 2021, 00:56:06, 00:56 por 2low »
Grão a Grão, Comemos Feijão!


Outubro 21, 2021, 00:34:49, 00:34
Responder #4

dfelix

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 4751
A ver se dou lá um saltinho também.
Tenho alguma curiosidade em perceber como em 16 evoluiu aquela que foi a melhor moto e a que mais gostei de ter até hoje.
Cheguei a testar a 1050RS.
Está na hora da 1200RS.

Aquela que tenho maior curiosidade é a Trident 660, que soube que ela tem uma versão para a carta A2. Será que a Sport 660 também terá uma versão "com menos pulmão" ?

As 660 são opções "entry level" da marca.
Estão portanto apontadas a iniciantes ou quem ainda está em evolução.
Se não o fizessem, perderiam clientes (que já são menos do que a marca gostaria e merecia) para outras marcas.

Entretanto acedi ao configurador da Tiger Sport 660 e na categoria "Acessórios" dentro da secção "Performance" está lá o "RESTRICTOR KIT" ref A9610508 por 161,58 € e que corresponde a 36 mins de montagem.  ;)

Agora muito honestamente...
Segundo a tua apresentação tens 19 anos.
Não sei quando tiraste a carta. Mas para te autopropor a exame prático da categoria A só precisas de só precisas de 2 anos desde que te inscreveste para tirar a A2.
Parece-me muito mais racional desfrutares da CB300R por mais uns tempos, ganhares mais experiência e pensar em tirar a A.
E depois aí pensar na Trident deslimitada, podendo usufruir em plenitude do que ela pode oferecer.

De outra forma, parece-me demasiado investimento para algo "limitado".
E embora seja um processo reversível, tem custos.
Além de que mais cedo ou mais tarde vais querer obter a categoria A na mesma.


Outubro 21, 2021, 12:18:36, 12:18
Responder #5

JustGil

  • Motociclista: 2 estrelas ❇❇

  • Offline
  • **

  • 236
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Marca Motociclo: Honda
  • Modelo Motociclo: CB300R
  • Localidade: Vila Nova de Gaia, Porto
A ver se dou lá um saltinho também.
Tenho alguma curiosidade em perceber como em 16 evoluiu aquela que foi a melhor moto e a que mais gostei de ter até hoje.
Cheguei a testar a 1050RS.
Está na hora da 1200RS.

Aquela que tenho maior curiosidade é a Trident 660, que soube que ela tem uma versão para a carta A2. Será que a Sport 660 também terá uma versão "com menos pulmão" ?

As 660 são opções "entry level" da marca.
Estão portanto apontadas a iniciantes ou quem ainda está em evolução.
Se não o fizessem, perderiam clientes (que já são menos do que a marca gostaria e merecia) para outras marcas.

Entretanto acedi ao configurador da Tiger Sport 660 e na categoria "Acessórios" dentro da secção "Performance" está lá o "RESTRICTOR KIT" ref A9610508 por 161,58 € e que corresponde a 36 mins de montagem.  ;)

Agora muito honestamente...
Segundo a tua apresentação tens 19 anos.
Não sei quando tiraste a carta. Mas para te autopropor a exame prático da categoria A só precisas de só precisas de 2 anos desde que te inscreveste para tirar a A2.
Parece-me muito mais racional desfrutares da CB300R por mais uns tempos, ganhares mais experiência e pensar em tirar a A.
E depois aí pensar na Trident deslimitada, podendo usufruir em plenitude do que ela pode oferecer.

De outra forma, parece-me demasiado investimento para algo "limitado".
E embora seja um processo reversível, tem custos.
Além de que mais cedo ou mais tarde vais querer obter a categoria A na mesma.

Se for para tirar a carta A, creio que posso ir aos 20 anos, visto que tirei a A2 aos 18 anos. Porém, para já não pretendo trocar a minha CB300R, nem tenho tempo nem dinheiro agora para a carta A .Apenas queria poder fazer um pequeno test ride a Trident 660 ou a Sport, digo isto porque são motas que tenho imensa curiosidade de experimentar, principalmente tratando-se de um motor com 3 cilindros. Talvez descarto a Sport(comparada com a Trident deve ser mais pesada e mais alta), e quem sabe, talvez dentro de uns aninhos possa vir a adquirir uma Trident  ;D

Outubro 21, 2021, 14:40:56, 14:40
Responder #6

Joao_Cruz

  • Motociclista: 3 estrelas ❇❇❇

  • Offline
  • ***

  • 1202
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Marca Motociclo: Yamaha
  • Modelo Motociclo: Tracer 900 GT
  • Localidade: St.Marta Pinhal-Corroios
Obrigado pela partilha 2low.
Gostei muito desta parte:

"No transito é maneirinha e mexe-se bem mas cuidado... a 3ª chega aos 200!!!
(não, não experimentei isso na cidade...)"
....

Abc

Enviado do meu SM-A520F através do Tapatalk


Outubro 21, 2021, 15:38:30, 15:38
Responder #7

JViegas

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 4013
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
Só de pensar nesse motor e o que tem para entregar numas mãos que saibam espremer o "sumo" todo dele dá-me arrepios.

Existem as "outras" e existem estas super naked's que nos impõem o devido respeito.

É muita mota? Sim é.
É muito cara? Pois claro.

Mas o prazer de condução, sabendo exatamente onde e quando aproveitar da máquina, deve ser qualquer coisa de extraordinário.

Boa partilha... espero que saia o euromilhões.

Outubro 21, 2021, 20:51:25, 20:51
Responder #8

2low

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 4825
  • Marca Motociclo: Triumph
  • Modelo Motociclo: Sprint ST 1050 ABS (2006)
  • Localidade: Margem Sul
Quero acrescentar que:

Fora a XJ6N da escola de condução e das motorizadas do tempo de escolinha, esta é a minha 2ª experiência com uma naked, da 1ª vez, a Z1000SX de 2011 (sim, é uma naked com carenagens a fingir ser uma ST) não gostei mesmo nada.

Desta vez... a experiência foi bem positiva:
- é realmente uma naked (não se vê porra alguma que não a estrada para a frente)
[os espelhos são minimos mas suficientes para a utilização citadina, fora das localidades raramente são precisos de se utilizar] :D
- vejo também como "naked de paneleirices", pois é realmente um excelente exercício estilístico feito pela Triumph em conseguir ao mínimo ter uma moto, com 2 rodas, um motorzão, um escape mínimo para cumprir exigências do motor e que cumpre normas ambientais, o guiador com os punhos (botões QB em ambos os punhos e de fácil acesso), um TFT que serve para ver que estamos a ficar sem gasolina...  :lolol: e pela coloração do conta rotações e velocímetro parece estarmos em permanência no REDLINE... 
:yeah:
...depois existe um farol redesenhado agressivo mas bonito e de pequena dimensão, e pequenas carenagens aerodinâmicas, mas de resto... a redução de peso ganha deverá mesmo ter sido testado à exaustão, algo que me parece ter acontecido com o motor, em ter aparecido logo num talvez potencial máximo... algo diferente da normalidade na Triumph e talvez distinto das outras motorizações que acabam por aparecer com pretações mais contidas e depois todos os anos acabam por receber um update de 5/10% de potência...

O preço é o maior entrave mas ainda assim a brutidade da moto/motor e o facto de ser feita para andar sempre nos limites acaba por levar a que também nós perdermos um pouco o nosso auto-controlo e acabarmos por arriscar mais... e eu acredito que tenho bastante auto-controlo na condução!
A maior falha (e talvez única) que eu aponto é mesmo o banco, que desconheço se existe outro como acessório, mas o que estava na moto que experimentei tinha reduzido apoio atrás das nalgas... e com a "porrada" que levamos no peito pela resistência ao ar... ui... ficamos facilmente com a sensação que estamos cada vez mais a ir ficando para trás...
Afinal é uma naked e não temos ali nenhum vidrozinho a levar o ar para cima do capacete...
E por falar em capacete, o meu Shark Spartan Carbon (V1.0) afinal é bem silencioso face ao ruído que eu apanho na minha moto, na qual a viseira da moto é baixa e provoca uma "recirculação e fluxo de ar" precisamente contra o capacete, provocando um ruído desagradável e cansativo - as esponjas nas orelhas resolvem...
« Última modificação: Outubro 21, 2021, 21:05:09, 21:05 por 2low »
Grão a Grão, Comemos Feijão!


Outubro 22, 2021, 16:53:27, 16:53
Responder #9

JViegas

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 4013
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
Também foi isso que senti quando comecei a conduzir a naked.

O AGV que tenho é mais silencioso do que conduzido com uma mota carenada/com visor.

O que gosto das nakeds é isso mesmo: o contato direto com a estrada e a "simplicidade" do conjunto, sem proteções ou plásticos laterias.

O inconveniente é a "porrada" que levas.

Se eu com a minha, nos momentos de maior "atrevimento" dou por mim a bater com o rabo no bando do pendura e a fazer um esforço enorme para me segurar quando mudo de uma 5ª esticada para uma 6ª, imagino-me aos comandos de uma "besta" destas.

Imagino a dor no corpo no final de uns kms perto do red line.  :diabolico:

Outubro 23, 2021, 09:40:32, 09:40
Responder #10

Sapiens21

  • Motociclista: 5 estrelas ❇❇❇❇❇

  • Offline
  • *****

  • 18186
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Texto Pessoal
    Queira o bem. Faça o bem. O resto vem...
Belo review por cá deixado. :nice:

Um teste na óptica do utilizador é sempre algo limitado no tempo (qua ainda assim não foi curto) e no percurso em que se fez uso da máquina, mas ainda assim dá uma ideia genérica do 'bicho' que se leva.

Uma 3a que chega aos 200kmh já diz e muito do 'pulmão' dessa 1200RS.
A velocidade deve aparecer de forma incrivelmente rápida, acompanhada de uma sonoridade que delícia os sentidos.

Senti isso a conduzir uma KTM e uma Aprilia.

Essa Triumph está mesmo, como dizes, uma 'moto do demo'.  :diabolico: :sportbike:
"Pouco importa o julgamento dos outros. Os seres humanos são tão contraditórios que é impossível atender às suas demandas para satisfazê-los.
Tenha em mente simplesmente ser autêntico e verdadeiro."

Dalai Lama

Novembro 12, 2021, 00:20:30, 00:20
Responder #11

Murse

  • Motociclista: 1 estrela ❇

  • Offline
  • *

  • 33
  • Marca Motociclo: Ducati
  • Modelo Motociclo: SF V4S
  • Localidade: Parchal
Brutal adoro a marca e a mota em questão..  :palmas: :sportbike: