Autor Tópico: Mudança do fluído (óleo) dos travões  (Lida 2970 vezes)

Janeiro 17, 2017, 14:37:13, 14:37
Lida 2970 vezes

karloxilva

  • Motociclista: 2 estrelas ❇❇

  • Offline
  • **

  • 333
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Marca Motociclo: Suzuki
  • Modelo Motociclo: Burgman AN400AZ ABS (Fev.2014)
  • Localidade: Setúbal
Trata-se de algo que deve ser feito amiúde, aliás, as marcas propõem espaços de tempo nos seus livros de revisão, mas a malta costuma esquecer-se. Por isso, não é raro olhar-se para o guiador de uma mota e verificar-se que o óculo do nível do depósito de fluido dos travões mostra um líquido bem escuro, contaminado. Mais tarde, quando a resposta dos travões passa a ser mais "esponjosa" é costume pensar-se apenas na qualidade das pastilhas ou no seu desgaste.

Há bem pouco tempo, mudei as pastilhas dos travões da minha Burgman 400. Tratando-se de uma scooter que tem à frente dois discos, tratou-se de pastilhas vezes dois, mais as de trás... O concessionário, terá olhado para a cor do fluido dos travões e decidiu não me propor a sua mudança, suponho. Mas a mota já tem mais de dois anos, estava mais que na altura de o fazer. Percebo o concessionário: de qualidade é um líquido caro, mais a mão-de-obra, dupla, encareceria a factura da revisão...

Só que sou eu quem anda sobre a mota.
À laia de outras operações como as mudanças de óleo do motor e respectivo filtro, dos roletes, filtro de ar, vela e, há pouco tempo, do óleo da transmissão, estou a pensar fazer eu próprio a substituição do fluido dos travões.

Já sei, primeira preocupação, não deixar entrar ar e ter o reservatório cheio de fluido novo.
Podemos aproveitar este tópico para falar disto mas há outras perguntas que eu queria deixar aqui aos companheiros com mais experiência do que eu.

Antes disso, para já, não tenho grandes dúvidas sobre qual o DOT a utilizar, e aproveito para deixar um texto tirado do site dos nossos companheiros de Curitiba, Brasil: http://motociclistacuritibano.com/2013/06/qual-fluido-de-freio-utilizar-diferencas-entre-dot-3-dot-4-dot-5-e-dot-5-1/

Será DOT 4, ou DOT 5.1 se o encontrar a bom preço.
Reforço aqui o que já li em todo o lado: DOT 5, de base de silicone, não deve ser misturado com nenhum outro DOT, nem o 5.1!
O artigo acima explica o por quê, e em caso de dúvidas pesquise-se outras fontes.

Quando andei à procura dos preços de marcas mais conceituadas, verifiquei  que os fluídos de travões estão separados, para carro e para mota.
O "óleo" não será igual e estamos a apenas lidar apenas com razões comerciais para que paguemos o "óleo para mota" mais caro que o de carro?
Pergunto: faz sentido que assim seja?

É que reparei que a Ferodo (passe a publicidade) tem um fluído de "base sintética" DOT 4 para "automóveis e motas"...
[Este texto foi editado para corrigir erros em algumas frases. As pressas...]
« Última modificação: Janeiro 17, 2017, 19:27:31, 19:27 por karloxilva »
"O bom senso é a coisa do mundo mais bem distribuída: todos pensamos tê-lo em tal medida que até os mais difíceis de contentar nas outras coisas não costumam desejar mais bom senso do que aquele que têm." René Descartes

Janeiro 17, 2017, 16:38:25, 16:38
Responder #1

dfelix

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 3667
A maior dificuldade da substituição do fluido costuma ser o "sangramento".
Implica o movimento repetitivo de folgar a válvula, travar... aliviar, deixar repousar um pouco e voltar ao principio.
Das primeiras vezes é comum desperdiçar um pouco.
Ou apesar de melhor, ficar um pouco mais esponjoso do que seria suposto.
Ou estragar a pintura da jante por não haver devido cuidado em esgotar o fluido.
Mas a pratica leva à perfeição!  :)

Outro erro comum é substituir o fluido com pastilhas parcialmente ou totalmente gastas.
O nível deste baixa conforme o desgaste das mesmas.
Logo, substituir o fluido com pastilhas a meio ou final de vida certamente irá fazer com que na substituição destas o liquido suba acima do máximo ou transborde pelo retentor do copo.

Deve-se evitar retirar os êmbolos das pinças apenas por curiosidade. 
Com a utilização estes tendem a "acamar" e ficar muito finos e frágeis.
Retirá-los sem necessidade só vai acelerar a degradação de algo que pode durar tanto ou mais do que o resto da moto!  :)

E uma das razões comuns da sensação de travão "esponjoso" passa pelo próprio circuito.
Hoje em dia com os chineses a produzir malha de aço baratissima, muitos construtores têm optado por introduzir já de série.
Embora por norma a tubagem é de borracha que tende a longo prazo degradar por consequência do aquecimento do fluido.


Janeiro 17, 2017, 19:30:04, 19:30
Responder #2

karloxilva

  • Motociclista: 2 estrelas ❇❇

  • Offline
  • **

  • 333
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Marca Motociclo: Suzuki
  • Modelo Motociclo: Burgman AN400AZ ABS (Fev.2014)
  • Localidade: Setúbal
A maior dificuldade da substituição do fluido costuma ser o "sangramento".
Implica o movimento repetitivo de folgar a válvula, travar... aliviar, deixar repousar um pouco e voltar ao principio.
Das primeiras vezes é comum desperdiçar um pouco.
Ou apesar de melhor, ficar um pouco mais esponjoso do que seria suposto.
Ou estragar a pintura da jante por não haver devido cuidado em esgotar o fluido.
Mas a pratica leva à perfeição!  :)

Outro erro comum é substituir o fluido com pastilhas parcialmente ou totalmente gastas.
O nível deste baixa conforme o desgaste das mesmas.
Logo, substituir o fluido com pastilhas a meio ou final de vida certamente irá fazer com que na substituição destas o liquido suba acima do máximo ou transborde pelo retentor do copo.

Deve-se evitar retirar os êmbolos das pinças apenas por curiosidade. 
Com a utilização estes tendem a "acamar" e ficar muito finos e frágeis.
Retirá-los sem necessidade só vai acelerar a degradação de algo que pode durar tanto ou mais do que o resto da moto!  :)

E uma das razões comuns da sensação de travão "esponjoso" passa pelo próprio circuito.
Hoje em dia com os chineses a produzir malha de aço baratissima, muitos construtores têm optado por introduzir já de série.
Embora por norma a tubagem é de borracha que tende a longo prazo degradar por consequência do aquecimento do fluido.


Muito boa informação, obrigado. Vai-me servir e a outros.
Verificarei previamente o desgaste das pastilhas.
A tubagem em malha de aço fica registada.
« Última modificação: Janeiro 17, 2017, 19:40:33, 19:40 por karloxilva »
"O bom senso é a coisa do mundo mais bem distribuída: todos pensamos tê-lo em tal medida que até os mais difíceis de contentar nas outras coisas não costumam desejar mais bom senso do que aquele que têm." René Descartes

Janeiro 17, 2017, 21:56:59, 21:56
Responder #3

dfelix

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 3667
Verificarei previamente o desgaste das pastilhas.

O ideal é a manutenção dos travões ser completa.
O mesmo fluido dura imensas trocas de pastilhas. Mas convém mudar o fluido numa mesma revisão em que se troca também de pastilhas!

Há malta que acha que aquilo por estar num nível baixo precisa de ser reposto... quando na realidade são as pastilhas que estão no fim!

A tubagem em malha de aço fica registada.

Dantes era dos primeiros upgrades que se fazia nas motos...
A diferença é enorme!
Porém, actualmente a maioria das motos novas já vêm com malha de aço.

Ainda assim, muitas das que trazem por questões de custos vêm com uma instalação em T.
Ou seja, sai um tubo único da bomba que junto ao guarda-lama diverge para dois ligando cada um na respectiva pinça.

Consegue-se melhores resultados com dois tubos individuais desde a bomba às pinças.
Só que isto costuma implicar mudar o "parafuso" que os aperta por um com duas furações.



Mas... a maioria dos kits para "duas linhas" já trazem este acessório.

 :nice:

Março 25, 2020, 15:46:11, 15:46
Responder #4

tiagofo20

  • Motociclista: 2 estrelas ❇❇

  • Offline
  • **

  • 367
  • Marca Motociclo: Honda
  • Modelo Motociclo: CB125F
  • Localidade: Guimarães
Aproveitando o tempo extra que se passa em casa, a semana passada fiz a troca do fluido dos travões na minha CB125 F. Hoje fui dar uma pequena volta e verifiquei que a manete vem mais para trás do que anteriormente.

Será que estou com ar no circuito ou será por ter posto fluido dot 5.1?

Março 25, 2020, 18:04:23, 18:04
Responder #5

SARider

  • Motociclista: 1 estrela ❇

  • Online
  • *

  • 45
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Texto Pessoal
    "Ride Free, Ride Safe!"
  • Marca Motociclo: Suzuki
  • Modelo Motociclo: GSR600
  • Localidade: Sintra
Aproveitando o tempo extra que se passa em casa, a semana passada fiz a troca do fluido dos travões na minha CB125 F. Hoje fui dar uma pequena volta e verifiquei que a manete vem mais para trás do que anteriormente.

Será que estou com ar no circuito ou será por ter posto fluido dot 5.1?

Eu sei que costumo dizer sempre a mesma coisa, mas o óleo travões indicado, é o que vem no manual do fabricante. Se for DOT 4, não vais ganhar nada em mudar.

Os DOT 3, 4 e 5.1 têm a mesma base (glicol)  por isso o 5.1 não irá fazer qualquer diferença na eventualidade de haver mistura entre eles.
O DOT 5, tem base de silicone e ao contrario dos restantes, é hidrofóbico (não absorve água), mas por possuir menor proteção contra a corrosão,  os sistemas de travagem são desenhados para poder utilizar este fluido. Por isso não podes usar DOT 5, nem sequer misturar com sistemas DOT3, 4 ou 5.1.

O que difere entre eles é mesmo o seu ponto de ebulição. O DOT 3 é cerca de 200ºC, enquanto o DOT 5.1 aguenta até 260ºC antes de "ferver".
Por isso, a não ser que faças as 24h Le Mans todos as semanas, ou crossadas  no monte Vesúvio em plena erupção, o vulgar DOT 4 que facilmente se encontra em todas as lojas de peças irá servir perfeitamente.  ;D

Normalmente deve ser mudado a cada 2 a 3 anos porquê?
 - Porque perde características com o tempo e com as constantes alterações de temperatura durante o uso. Vai ficando escuro devido á oxidação/degradação dos seus aditivos.
 - Porque por absorverem água do ar, ao fim de alguns anos o seu ponto de ebulição baixa (a agua ferve a 100ºC) além de se poder iniciar processos de corrosão nos componentes do sistema de travagem. É também por essa razão que não se deve guardar na garagem as garrafas a meio uso para futuras ocasiões. Após abrir o selo, é utilizar o necessário e descartar o restante.

A função do óleo é somente transmitir a energia hidráulica gerada na bomba de travão (ao apertar a manete), para os êmbolos nas pinças, que por sua vez exercem a força de travagem.
Por ser um fluido é incompressível( não perde volume na compressão), ou seja a força que exercemos na manete/pedal vai diretamente para os êmbolos nas pinças travão, e porque estes têm uma área "X" vezes maior do que o embolo da bomba, essa força é multiplicada varias vezes, o que nos permite parar as nossas meninas em segurança.

Se a manete encosta mais ao punho no fim da travagem, pode bem ser ar no circuito. A ação seria purgar melhor o circuito.
Se quando apertas a fundo a manete e manténs o aperto, sentes que a manete perde pressão e lentamente vai mesmo cedendo até encostar no punho, poderá ser a bomba que necessita de reparação. Deverá haver kits reparação (borrachas novas) disponíveis.
Isto partindo do pressuposto que não tens fugas de óleo em nenhuma parte do circuito. nesse caso além de ser visível , o nível acabaria por baixar no visor.


P.S. Se tiveres que mudar óleo com as pastilhas a meio uso, também  não há qualquer problema. Só tens de marcar no depósito o nível antes do procedimento, e no final deixa o óleo no mesmo nível…

Espero ter ajudado. :)

Boas curvas
« Última modificação: Março 26, 2020, 00:51:01, 00:51 por SARider »
Suzuki GSR600

Yamaha YBR250

Março 25, 2020, 19:14:39, 19:14
Responder #6

tiagofo20

  • Motociclista: 2 estrelas ❇❇

  • Offline
  • **

  • 367
  • Marca Motociclo: Honda
  • Modelo Motociclo: CB125F
  • Localidade: Guimarães
Obrigado pela extensa explicação. Quando comprei o fluído acabei por comprar 5.1 por achar que seria melhor que o 4, Dot 5 sabia que não podia colocar.

Ao apertar a manete não vai cede nada, só que só começa a travar quase a meio do curso da manete.