Autor Tópico: Apresentação e teste da Mv agusta brutale 800  (Lida 150 vezes)

Setembro 11, 2019, 08:25:31, 08:25
Lida 150 vezes

mneves

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 2500
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
membro numero 16

Setembro 11, 2019, 09:03:42, 09:03
Responder #1

Sapiens21

  • Motociclista: 5 estrelas ❇❇❇❇❇

  • Offline
  • *****

  • 13631
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Texto Pessoal
    Queira o bem. Faça o bem. O resto vem...
Um peso bastante baixo para uma potência que está a par p.ex. com o das CBR600RR.  :nice:
Essa Brutale pesa sensivelmente o mesmo que grande parte das motos de 400-500cc.

O quadrante não aprecio. Está longe do meu gosto, mas pronto. Cumpre o objectivo. :)

Quanto ao design geral da máquina, muito porreira essa Brutale.
Esse escape de 3 saídas, sempre adorei...  :feliz:
"Pouco importa o julgamento dos outros. Os seres humanos são tão contraditórios que é impossível atender às suas demandas para satisfazê-los.
Tenha em mente simplesmente ser autêntico e verdadeiro."

Dalai Lama

Setembro 11, 2019, 15:29:03, 15:29
Responder #2

JViegas

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 2252
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
Vou ver este vídeo em casa com os headphones e com o balde das pipocas.

Não dá "ares" de "gladius" da Suzuki?


Setembro 11, 2019, 19:06:16, 19:06
Responder #3

Sapiens21

  • Motociclista: 5 estrelas ❇❇❇❇❇

  • Offline
  • *****

  • 13631
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
  • Texto Pessoal
    Queira o bem. Faça o bem. O resto vem...
Bem visto e tem de facto, no que toca estritamente ao design, grandes parecenças.

O que me leva a uma questão que será capaz de algum reboliço opinativo....  :-\

Será que se a mesmíssima Gladius de que colocaste imagem no tópico...acaso fosse lançada pela Ducati, teria bem mais sucesso do que aquele que (não) teve? 
"Pouco importa o julgamento dos outros. Os seres humanos são tão contraditórios que é impossível atender às suas demandas para satisfazê-los.
Tenha em mente simplesmente ser autêntico e verdadeiro."

Dalai Lama

Setembro 11, 2019, 22:15:39, 22:15
Responder #4

mneves

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 2500
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
Vou ver este vídeo em casa com os headphones e com o balde das pipocas.

Não dá "ares" de "gladius" da Suzuki?


Pipocas? Nem precisas sao menos de 20min
Realmente muito parecidas
membro numero 16

Setembro 12, 2019, 09:54:02, 09:54
Responder #5

dfelix

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 3440
Não dá "ares" de "gladius" da Suzuki?

Resta saber quem nasceu primeiro.
Se o ovo ou a galinha...  :)



Setembro 12, 2019, 10:40:20, 10:40
Responder #6

JViegas

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 2252
  • Sexo
    Masculino

    Masculino
Não querendo fugir ao excelente test drive que o nosso companheiro nos apresentou.
E nota muito positiva para o trabalho e tempo despendido por ele a fazer estas "coisas".
Tanto ele como outros vblogers nacionais.
A minha vénia.

Não querendo fugir muito e perdoa-me mneves.

Não percebo porque é que a Suzuki foi tão criticada pela Gladius. Sinceramente.
É um design muito, diferente à altura, na minha opinião, pois os Italianos continuam a apostar nele como é o caso da Brutale.

Hoje em dias as naked, agora chamadas street fighters, são muito "semelhantes" em alguns aspetos (destaco a Kawasaki que, para mim, faz do mais agressivo que existe - pelo menos nas Z900 e 1000).

O aspeto "orgânico" que esta Brutale me sugere, relembrou-me a Gladius que surgiu talvez "à frente do seu tempo" num fabricante que sempre foi muito "conservador" nas suas naked.
Não é "à toa" que eles lançam a SV e toda a gente (incluindo eu) aplaude, pois também gosto de a ver assim.

Setembro 12, 2019, 15:52:00, 15:52
Responder #7

dfelix

  • Motociclista: 4 estrelas ❇❇❇❇

  • Offline
  • ****

  • 3440
Não percebo porque é que a Suzuki foi tão criticada pela Gladius. Sinceramente.

Porque abandonou uma receita que dentro de certas limitações funcionava, para adoptar uma abordagem mais... feminina.
Os próprios esquemas de cores são bastante explícitos.
O problema é que o público feminino era e ainda é um nicho.
E o público masculino (sobretudo se considerarmos que parte considerável vê na moto um prolongamento da sua masculinidade) tende a optar por coisas menos.. gay.

O lado bom do insucesso da Gladius é que trouxe a SV de volta.

Hoje em dias as naked, agora chamadas street fighters, são muito "semelhantes" em alguns aspetos (destaco a Kawasaki que, para mim, faz do mais agressivo que existe - pelo menos nas Z900 e 1000).

As "street fighters" nasceram nos anos 80 a partir da conversão de motos desportivas em máquinas cheias de testosterona para queimar borracha e andar de roda no ar.
E embora a escola alemã tenha desvirtuado por algo mais cosmético, tudo isto não deixa de estar ligado a uma subcultura britânica (daí muitas vezes a referência a hooligan bikes) como também foram as café racers nos anos 50 e 60.

O mercado naturalmente adoptou a designação e explorou comercialmente produzindo novas máquinas dentro desta abordagem.
No entanto é uma vertente de customização.
Chamar "streetfighter", "café racer" ou "scrambler" a um produto de fábrica acaba por ser uma parolice tão grande quanto chamar "custom" a algo que nem sequer foi customizado.

Portanto na realidade são nakeds, roadster... ou como a Yamaha agora lhes chama: "Hyper Naked".  :pensador:

E tens razão quanto á Kawasaki: Pois a Z1000 foi uma valente pedrada no charco.
Foi a primeira japonesa que saiu com esta inspiração, moldando o que vários outros construtores produziram até muito recentemente.